13 jan | OSTEOPOROSE

Osteoporose.jpg

OSTEOPOROSE


O que é?


É uma doença generalizada, persistente e incapacitante, que influencia de diversas formas a vida pessoal.


Qual o melhor teste para o rastreamento da osteoporose?


A Densitometria Óssea é hoje o "Padrão Ouro" para a mensuração da densidade mineral óssea. Coluna e fêmur devem ser medidos evitando o falso diagnóstico, o que poderá ocorrer caso apenas uma região seja examinada.


Densitometria óssea de corpo inteiro:


A expressão "corpo inteiro" parece exercer um efeito mágico, talvez por supor maior riqueza de informações, no entanto tem aplicabilidade restrita à osteoporose secundária como o Hiperparatireoidismo, uso crônico de corticóide e nefropatia crônica.


Qual o critério para diagnóstico?


O critério densitométrico depende do desvio padrão (DP) determinado pela Organização Mundial da Saúde (OMS):
Até -1,0 DP = normal
Entre -1,0 e -2,5 DP = osteopenia
Igual ou menor que -2,5 DP = osteoporose


Quem deve se submeter ao exame?


- Mulheres com idade igual ou maior que 65 anos e homens com idade igual ou maior que 70 anos.
- Mulheres acima de 40 anos na transição menopausal e homens acima de 50 anos de idade, com fatores de risco.
- Adultos com antecedentes de fratura por fragilidade, condição clínica ou uso de medicamentos associados à baixa massa óssea ou perda óssea.
- Indivíduos para os quais são considerados intervenções farmacológicas para osteoporose.
- Indivíduos em tratamento para osteoporose, para monitoramento de sua eficácia.
- Indivíduos que não estejam sob tratamento, porém nos quais a identificação de perda massa óssea possa determinar a indicação do tratamento.
- Mulheres interrompendo terapia hormonal (TH).

 

Fatores de Risco de Osteoporose:


Sexo feminino, pessoas brancas, idade acima de 60 anos, peso corporal abaixo de 55 kg, fratura prévia por baixo impacto (decorrente de trauma semelhante ou inferior à queda da própria altura) após os 40 anos de idade, história familiar de fratura após os 50 anos de idade em parentes de primeiro grau, tabagismo atual, corticoterapia prolongada (dose diária de prednisona acima de 5mg, ou equivalente, por tempo sugerido a três meses), uso regular de bebidas alcoólicas (acima de duas doses diárias) e sedentarismo.
Dra. Mariangela Magnabosco Cosner (CRM 12657)

Galeria

<- Voltar